Critica: “Vai Malandra” é a jogada mais fraca do CheckMate de Anitta

É claro que o fandom de Anitta pode não gostar deste texto, e é óbvio que os números no YouTube vão na contramão do que vou dizer, mas o tão aguardado “Vai Malandra” ficou abaixo do esperado. Com teaser muito visualizado, fotos (algumas vazadas) e divulgação pesada, o single com clipe gravado no Vidigal reaproximou a cantora do ritmo que a projetou, mas a distanciou da pegada que estava alavancando sua popularidade.

Justamente esta popularidade é o que a permite extravasar neste momento, e acaba gerando um efeito “Toque de Midas”. Pelo menos é o que apontam os números: mais de nove milhões de visualizações do clipe em menos de 12 horas. Aqueles mais severos diriam que estes números estão ligados diretamente à “abundância”, como diria Compadre Washington. Musicalmente, é só mais um daqueles funks que vão tocar em carros rebaixados, na frente de postos de combustíveis, em aparelhos de som mal equalizados.

É hipérbole, eu sei, mas apenas pelo “Toque de Midas”. Não fosse isso, o cenário seria exatamente este. Por ser de Anitta, o single pode acabar virando hit. Talvez não seja a intenção dela, seja apenas uma música feita para se divertir depois de uma estressante rotina em uma busca – bem sucedida – por reconhecimento internacional.

O clipe, em si, merece um destaque positivo por fugir do “padrão KondZilla”, que coloca garotos em grandes mansões e com carros que dificilmente estarão na garagem deles. Anitta vai por outro lado, é a bem sucedida que filmou na comunidade, e mostra o chamado baile de favela como ele é realmente, sem ostentação e com “gente de verdade”. Apenas o take em 0:44 ficou um pouco bizarro, parecendo que o rosto de Anitta foi grosseiramente aplicado após filmagens com uma dublê de corpo – o que não aconteceu, vale salientar.

Quem provavelmente vai aproveitar a exposição é MC Zaac, principal parceiro na música, que ainda conta com a participação de Maejor, Tropkillaz e DJ Yuri Martins. Zaac despontou nacionalmente com “Vai Embrazando”, que inclusive é musicalmente mais bem acabada que o recém lançado trabalho com Anitta.

 

Por Wyllian Soppa

 

Confira o clipe de “Vai Malandra”, de Anitta:

Nego do Borel, na busca da internacionalização, chega ao Top 30 Global do Spotify

Dois dos maiores nomes da música latina atualmente são Maluma e J Balvin. Com isso, a presença deles em uma parceria é capaz de impulsionar uma música em rankings mundiais. Quem está curtindo este efeito é Nego do Borel, que gravou com Maluma um remix de “Você Partiu Meu Coração”, originalmente feita em parceria com Anitta e Wesley Safadão.

“Corazón” foi lançada em 3 de novembro, estreando no Top 50 Global do Spotify. De lá para cá, o sucesso só aumenta, e Nego do Borel, terceiro brasileiro a ficar entre as 50 melhores, já está no Top 30, ocupando a 29ª posição e ultrapassando o hit “Downtown”, de Anitta e J Balvin, que ocupam o 34º lugar.

 

Confira o clipe de “Corazón”, parceria de Nego do Borel com Maluma:

Grupo Major Lazer, de Diplo, lança clipe para “Buscando Huellas”, com J Balvin e Sean Paul

Quando se fala de música eletrônica e parcerias com artistas pop, sem sombra de dúvidas você lembra do Major Lazer. O trio formado por Diplo, Jillionaire e Walshy Fire tem feito sequenciais hits, e conquista cada vez mais fãs. A novidade do grupo é o clipe de “Buscando Huellas”, gravado com J Balvin e Sean Paul.

Eles já haviam produzido vídeos para “Know No Better” (ft. Travis Scott, Quavo e Camila Cabello) e “Sua Cara” (ft. Anitta e Pabllo Vittar). O EP do Major Lazer, além de ter grande qualidade de produção, mostra um valor cultural muito alto, tendo músicas que envolvem diversas culturas e idiomas.

 

Confira o clipe de “Buscando Huellas”, do Major Lazer com J Balvin e Sean Paul:

Anitta volta às raízes do funk e da comunidade em clipe do novo single “Vai Malandra”

Foi divulgada terça-feira a arte da capa de “Vai Malandra”, novo single de Anitta, que também faz parte do projeto “CheckMate”. A música deve ser lançada ainda este mês, e fecha este ciclo de trabalho da cantora. Pelas imagens já divulgadas (algumas vazadas), percebe-se que o clipe será ousado e sensual.

Na arte divulgada, Anitta aparece em trajes de banho, posando com a comunidade do Vidigal como plano de fundo. O novo single, com clipe gravado no local, conta com a participação de Mc Zaac, Maejor, DJ Yuri Martins e Tropkillaz.

Após shows no RJ e SP, Rouge prepara turnê nacional para 2018 e assina com grande gravadora

Saudosistas – se é que podemos chamar assim – foram ao delírio na noite de ontem. Isso porque o Rouge assinou contrato com a Sony Music Brasil. A princípio, a parceria envolve apenas o lançamento e promoção do novo single “Bailando”, que já está gravado mas ainda pode sofrer alterações no nome. Porém, imagina-se que a gravadora tenha intenções maiores com o grupo para 2018.

Durante uma live feita diretamente do escritório da Sony, as integrantes do Rouge interagiram com os fãs e falaram sobre os planos para 2018, que incluem uma turnê nacional, parcerias com grandes nomes da cena pop atual, como Anitta, e a gravação de um novo disco e/ou DVD. E é aí que entra a chance de uma parceria maior com a gravadora.

Quando questionadas sobre esta possibilidade, disseram para que se pergunte isso à Sony Music, que também é responsável pelas carreiras de Nego do Borel e Pabllo Vittar, por exemplo, que têm rodado o país e ficado cada vez mais em evidência. Jota Quest e Preta Gil também fazem parte do cast da gravadora.

Plano de internacionalização da carreira de Anitta ganha força após parceria com J Balvin

O plano de “dominação mundial” de Anitta está de vento em popa. O single “Downtown”, em parceria com J Balvin, já se aproxima da lista das 100 músicas mais tocadas no Spotify nos Estados Unidos, e a cada semana salta um grande número de posições. A faixa, inclusive, é mais ouvida do que as de artistas como Taylor Swift e Justin Bieber. Em entrevista recente, o colombiano J Balvin falou sobre a importância do trabalho de Anitta, que está levando a cultura brasileira para o mundo.

O cantor ainda fez uma curiosa comparação, afirmando que ela é “a nova Jennifer Lopez, mas com o rebolado da Shakira”. A parceria entre os dois, que já rendeu outra música anteriormente – um excelente remix de Ginza no início de 2016 – vai aumentar no início do ano que vem, quando Anitta participará de um novo single de J Balvin.

Toda este burburinho causado por “Downtown”, além do bom rendimento dos trabalhos internacionais anteriores, fez com que a artista brasileira entrasse na lista dos “artistas em ascensão” da Billboard. Este ranking avalia o desempenho dos cantores a cada semana nas listas mais influentes da própria Billboard, que é a principal parada musical do mundo.

Anitta foge de polêmica sobre semelhanças entre seu clipe e o novo trabalho de P!nk

Enquanto muitos clamam por uma “treta”, outros se esquivam e botam panos quentes. Anitta faz parte do segundo grupo, sem sombra de dúvidas. Foi assim quando houve choque de fandoms da brasileira e de Iggy Azalea quando esta foi acusada de, junto a Maluma, “trairar o lugar” da funkeira em “Switch”, e está sendo assim com P!nk.

Para quem está por fora, o caso é o seguinte: o novo clipe de P!nk, da música “Beautiful Trauma”, tem diversas semelhanças visuais com o clipe de “Essa Mina É Louca”, parceria de Anitta com Jhama lançada no ano passado. Desde a temática às cores, passando pelo desenvolvimento do enredo, o número de coincidências impressiona e, naturalmente, surgiu burburinho sobre plágio.

Anitta demorou, mas se posicionou. Foi após o blogueiro Perez Hilton usar o Twitter para apontar tais semelhanças. A cantora brasileira afirmou que P!nk é uma referência para ela desde a infância, que amou o clipe novo da americana, e que se seu trabalho realmente tiver inspirado o de uma artista tão importante, então ela se sentirá muito honrada. E fim de polêmica.

 

Confira abaixo os dois clipes envolvidos nesta treta toda.

Anitta – Essa Mina É Louca ft Jhama

 

P!nk – Beautiful Trauma